Carapuça

Uma maré pressa na garanta
Uma ânsia análoga
A âncora que finca o mar e para o Barco
A sensação de já saber,
As provas, os fatos, a conclusão

Anseio pelo teu sangue em minhas mãos
Um riso
O olhar no espelho
Os seus olhos em riste
Me despi do costume de meu rosto

E como chupar a o fruto e não sentir o sabor
E essa seiva que desce amarga goela abaixo
Um ralo
pústula dental
Teu cheiro
Teu ar
Nojo de você

{mar}cos

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s